| 
  • If you are citizen of an European Union member nation, you may not use this service unless you are at least 16 years old.

  • Buried in cloud files? We can help with Spring cleaning!

    Whether you use Dropbox, Drive, G-Suite, OneDrive, Gmail, Slack, Notion, or all of the above, Dokkio will organize your files for you. Try Dokkio (from the makers of PBworks) for free today.

  • Dokkio (from the makers of PBworks) was #2 on Product Hunt! Check out what people are saying by clicking here.

View
 

FrontPage

Page history last edited by Deise 12 years, 7 months ago

  

LICENCIATURA EM PEDAGOGIA A DISTÂNCIA/

6º e 7º SEMESTRE – EIXO VI

INTERDISCIPLINA:

SEMINÁRIO INTEGRADOR VI

ALUNOS:

CATIANE CARDOSO VARGAS (catiane.vargas@gmail.com)

DEISE HAHN MONTEIRO (deisehm@gmail.com)

EDIVAN MACHADO DE OLIVEIRA (edivan_tc@yahoo.com.br)

GISLAINE CARDOSO AGUIAR (gislainecardosoa@gmail.com)

TANARA JUSTO MENGUE (tanaramengue@gmail.com)

 

 

PROJETO DE APRENDIZAGEM 

 

 

 

PERGUNTA CENTRAL: 

Ocorreram algumas mudanças na estrutura dos jogos de antigamente em relação aos dias atuais, desenvolvidos livremente pelos alunos das séries iniciais da escola Baréa?

 

 

Ao longo deste trabalho, temos por objetivo investigar sobre as brincadeiras infantis comuns entre os alunos  antigos e atuais da escola Dom José Baréa, elencando os jogos mais citados, as estruturas que os compõe bem como as modificações que estes sofreram ao longo dos anos nesta escola.

Para conferirem nossas descobertas e investigações vejam o link a seguir: SÍNTESE FINAL/Clique aqui.

 

Comments (14)

Eliana Ventorini said

at 9:59 pm on May 19, 2009

Olá, pessoal!
Passei aqui apenas para uma visita inicial e para manifestar o quanto fiquei feliz em ver que estão se articulando a distância em torno de um novo projeto de aprendizagem e de um novo PBwork! E que bom que já estão organizando as páginas de produção de cada um, as páginas de reflexão individual (diários de bordo de cada um). Que tal criar, também, as páginas de "interação", as páginas coletivas, de discussão? Aproveito para lembrar que concentraremos TODO o trabalho aqui no Pbwork, ok? Desta vez, NÃO usaremos o Rooda. Então, podem criar uma página para abrigar o "fórum" de discussão do grupo, por exemplo.
Seguimos conversando!
beijo grande,
Profa Eliana

Rosângela said

at 9:37 pm on Jun 9, 2009

Olá pessoal, vamos iniciar nossa discussão acerca do PA começando pela pergunta central. Ao dizer “Quais brincadeiras eram desenvolvidas pelos alunos que estudaram na escola Baréa... e que atualmente perduram na escola?” vocês estão afirmando que algumas brincadeiras são realizadas até hoje e outras não, certo? Trata-se, portanto, de uma certeza, e que foi destacada por vocês, mas nas certezas vocês mesmos já apresentam essas brincadeiras: “viuvinha, cantigas de roda, subir em arvores, cantarolar livremente, brincadeiras de faz de conta”. Quando o grupo inicia a pergunta com a expressão “quais brincadeiras” encaminha o trabalho para uma resposta que se limita a elencar essas brincadeiras, constituindo assim uma lista. E se vocês apresentam essas brincadeiras nas certezas, a resposta está praticamente pronta. A resposta não pode se restringir a isso, ok! Logo, a pergunta precisa ser revista.

A partir da pergunta, observo que vocês farão uma análise comparativa: um tempo antigo e agora a fim de verificar as brincadeiras que ainda perduram. É isso mesmo? O grupo definiu esse espaço de tempo? Isso significa que o ponto de partida do grupo são as brincadeiras de antigamente, certo? Assim, ficam fora do estudo brincadeiras surgidas recentemente entre os alunos. A escola Bárea é bastante antiga... como vocês pretendem atingir todos esses ex-alunos da escola? Em que estratégias estão pensando? Trata-se um público grande, já que vocês não fazem delimitação de período de tempo nem de idade, série... acham que será possível atingir a todos? Qual a necessidade de se atingir a todos os alunos?

Rosângela said

at 9:41 pm on Jun 9, 2009

Observo também que vocês colocam uma mesma ideia como certeza e dúvida ao mesmo tempo: “As brincadeiras desenvolvidas em grupos abarcam crianças de diferentes idades.” Afinal, é uma certeza ou uma dúvida? Vocês precisam ter clareza dos conceitos fundamentais que embasam a pesquisa. Partindo da pergunta central, é possível destacar como conceito-chave a noção de ‘brincadeira’. O grupo certamente terá de buscar elementos teóricos para trabalhar esse conceito (e pelos registros de vocês observo que já começaram a fazer isso), mas é interessante também compreender que ideia de ‘brincadeira’ os sujeitos da pesquisa (alunos/ex-alunos) têm desse conceito. Imaginem que, numa entrevista, por exemplo, o que é brincadeira para um aluno pode não ser para o outro. E quanto a isso percebo que o grupo já está definindo e apresentando quais são essas brincadeiras.

Acho que já é um bom começo de conversa para vocês seguirem a discussão.
Estou à disposição. Bom trabalho! Beijos, Rô Leffa

Rosângela said

at 5:07 pm on Jun 18, 2009

Oi pessoal, vou seguir fazendo meus comentários por aqui, ok?!
Oi pessoal, percebo que já mexeram na pergunta e nas certezas e dúvidas. Quanto à pergunta, percebem que ela ainda suscita como resposta uma lista de brincadeiras? Observei que vocês optaram por estabelecer um intervalo de tempo para a pesquisa, o que delimitou um pouco mais a temática e isso é positivo (A escola tem 50 anos... seria impossível trabalhar considerando-se meio século como período de análise!!!) Há alguma razão para essa escolha ou esse período de tempo foi delimitado aleatoriamente? Vejam que há uma repetição nas certezas: a 2ª e a 3ª são iguais. As demais certezas, elaboradas por vocês, ajuda a compreender como eram as brincadeiras do passado: se individuais ou em grupo, se eram usados instrumentos ou não, se envolviam crianças de diferentes idades. Isso significa dizer que estão condizentes com a pergunta porque ajudam a respondê-la, mas reafirmo o que já havia dito antes: a pergunta não pode se restringir a descoberta de uma lista de brincadeiras, certo? Isso está claro para vocês? Procurem pensar na importância, na relevância de se pesquisar sobre Brincadeiras Infantis. Talvez isso ajude o grupo a rever a pergunta.

Rosângela said

at 5:08 pm on Jun 18, 2009

A brincadeira pode acontecer em vários momentos e lugares na escola: no pátio, na sala de aula, durante a aula ou o recreio, durante as atividades de educação física, etc. Na sala, por exemplo, os alunos podem definir como brincadeira a troca de aviõezinhos. Pelo que observei do trabalho de vocês, a intenção é pensar em brincadeiras organizadas espontaneamente pelas crianças, em momentos de descontração. É isso mesmo? Vocês irão trabalhar com brincadeiras que acontecem apenas no pátio? Como pretendem fazer essa delimitação? Será que a figura do professor não pode influenciar nesse repertório de brincadeiras? Se ele influencia, é também responsável pela manutenção ou não de algumas brincadeiras.

Rosângela said

at 5:10 pm on Jun 18, 2009

Vamos voltar nossa atenção para uma certeza específica: “as crianças encontram meios de brincar e de pôr em prática essas brincadeiras antigas ou não segundo as possibilidades existentes”. Nessa certeza, vocês parecem apresentar uma razão para o fato de algumas brincadeiras não perdurarem ao longo do tempo, como se as brincadeiras mudassem porque as crianças não encontram as mesmas condições estruturais, ambientais... Isso foi definido com base em quê: na observação, no senso comum, em estudo científico? Será que as crianças, ao longo do tempo, não descobrem novas brincadeiras, não apresentam interesses diferentes daqueles das gerações anteriores? E mais: se o foco de vocês está em olhar para as brincadeiras que perduram, qual a necessidade dessa certeza que trata do que não perdura?
Com relação às dúvidas, achei interessante a preocupação de vocês com a possibilidade de adaptação de algumas brincadeiras, ou seja, o fato delas terem sofrido alguma mudança. Como pretendem lidar com isso? Qual vai ser o critério para afirmar que se trata de uma brincadeira antiga se ela mudou? O que será mais importante: o nome da brincadeira ou as suas regras/seu desenvolvimento?
Seguimos conversando!
Beijos, Rô Leffa

Rosângela said

at 9:14 pm on Jun 25, 2009

Olá pessoal,
Antes de entrar na discussão propriamente dita sobre a reformulação que fizeram, gostaria de destacar que os questionamentos que faço em relação à delimitação da pergunta visam fazer o grupo pensar, discutir, avançar; não significa que vocês devam inserir na pergunta central a resposta desses questionamentos. Eles servem para fazer vocês pensarem sobre a pertinência da pergunta, as possibilidades de desenvolvimento da pesquisa. Quando falei, por exemplo, em intervalo de tempo foi justamente para fazê-los pensar sobre a viabilidade de uma pesquisa que envolveria os 50 anos de uma escola e, principalmente, por que a pergunta do grupo parecia estabelecer uma relação de comparação a partir do elemento tempo (o início da escola e agora/atualmente). Questionei-os para que vocês fossem pensando sobre essas questões e percebendo os limites e possibilidades da pergunta (e da própria pesquisa). Também fiz uma série de questionamentos a respeito dos lugares onde as brincadeiras acontecem: no recreio, durante a aula, nos momentos de recreação.... isso era para mostrar a vocês que as brincadeiras não se restringem a um único espaço e, por conseqüência, o quanto esse conceito é complexo, mas não significa que essas informações precisem aparecer na pergunta.

Rosângela said

at 9:15 pm on Jun 25, 2009

No momento, é importante que o grupo tenha uma pergunta objetiva e que ofereça possibilidades de descobertas. A estrutura da pergunta de vocês, embora suscite como resposta um sim ou não, contém mais elementos, pois abarca outras questões como: quais brincadeiras/jogos mudaram? Quais mudanças nas estruturas? Quanto às delimitações de espaço e tempo que vocês inseriram na pergunta, sugiro que vocês mantenham apenas a relação de tempo (já que pretendem realizar uma análise comparativa), mas não precisam delimitar, nesse momento, os intervalos de tempo, pois isso certamente se modificará à medida que a pesquisa avançar. Procurem colocar uma delimitação mais abrangente...talvez algo do tipo: antes/depois, antigamente/atualmente.

Rosângela said

at 9:18 pm on Jun 25, 2009

Ao reescrever a pergunta, vocês mudaram também o foco, certo? Agora vocês vão se deter na ‘estrutura’ das brincadeiras (o que torna os intervalos de tempo ainda menos importantes). É fundamental ter em mente que essa noção de estrutura precisa ser devidamente estudada, pensada, pois é um conceito-chave da pesquisa de vocês. Ele surgiu das discussões que vocês realizaram, mas por ser um conceito importante, precisa ser compreendido em termos teóricos. Como os autores dessa área nomeiam essa mudança que acontece nas brincadeiras/jogos? O desenrolar de uma brincadeira/jogo possui uma estrutura? Essa estrutura é fixa? Que elementos contribuem para que uma brincadeira/jogo mudem? Fica difícil avançar sem definir isso melhor. Nesse momento, vocês terão de ler sobre o assunto, pois é a compreensão dessa noção (estrutura) que permitirá a reformulação das certezas e dúvidas. E isso inclui a noção de jogo e de brincadeira. Sem definir isso, a pergunta fica aberta. No último encontro presencial, conversamos sobre isso e , conforme as coisas estavam andando, achei que vocês poderiam deixar essa leitura sobre a distinção entre jogo e brincadeira mais para frente, mas agora vendo a reformulação da pergunta de vocês, observo que essa discussão sobre os conceitos é urgente. À medida que as etapas são reescritas, vocês vão conferindo novos rumos para a pesquisa, mas não se preocupem...Fazer um PA é assim mesmo, uma contínua reconstrução. Pode não parecer, mas o grupo já avançou muito... No início a ideia de brincadeira parecia definida para vocês, agora que as discussões se tornaram mais densas, surgiram outras dúvidas... e são essas dúvidas que vão movendo o grupo até encontrarem novo equilíbrio. Muitas reformulações ainda serão feitas, faz parte do processo.

Rosângela said

at 9:21 pm on Jun 25, 2009

Considerando que as certezas e dúvidas precisam estar relacionadas à pergunta central e que esta sofreu alterações significativas, é importante que vocês revejam as certezas e dúvidas à luz da nova pergunta. Algumas certezas, considerando-se esse novo foco, perderam o sentido: “As crianças encontram meios de brincar e de pôr em prática essas brincadeiras antigas ou não segundo as possibilidades existentes”. Essa certeza não está relacionada com a ideia de estrutura. Olhem com atenção as certezas e dúvidas e procurem analisar a relação delas com a pergunta, certo? Qualquer dúvida, entrem em contato!
Bom trabalho! Beijos, Rô Leffa

Rosângela said

at 8:35 pm on Jul 7, 2009

Olá pessoal, vejo que optaram pelo conceito de jogo. O que os levou a fazer essa escolha? Espero encontrar essas respostas nos Diários de vocês, ok! Bom, depois de tantas idas e vindas, muitas reformulações... enfim, as etapas do PA estão bem definidas e articuladas. As certezas e dúvidas estão diretamente relacionadas com a pergunta, evidenciando os conhecimentos que vocês já possuem e as possibilidades de investigação. Mostram também a relação entre os conceitos-chave da pesquisa: jogo, estrutura, mudança. Sugiro apenas que o grupo reveja a última certeza. Será que a adaptação de um jogo se dá apenas em razão da capacidade cognitiva das crianças? Pode haver regras pouco interessantes para ela, fazendo com que ela adapte o jogo ao que lhe interessa. Outra coisa... agora falando em regras me surgiu uma dúvida e coloco aqui para vocês pensarem (talvez possa surgir aí mais uma dúvida ou certeza) : Falar em mudança de estrutura é a mesma coisa que mudar uma ou outra regra de um jogo? Pensem sobre isso e deem uma última 'mexida' no PA de vocês. Beijos, Rô

Rosângela said

at 8:40 pm on Jul 7, 2009

Bom, como o prazo para o término das atividades do Seminário Integrador foi estendido até o dia 17 de julho, sugiro que vocês construam um novo mapa conceitual, contemplando os conceitos dessa última reformulação. O primeiro mapa foi construído junto com a primeira formulação da pergunta e, por isso, não traduz o que vocês têm construído neste momento.
Trata-se de construir um mapa simples, com poucos conceitos e que revele as relações que vocês estão construindo nesse início de trabalho. Destaquem os conceitos fundamentais apresentados na pergunta central e nas certezas e tentem articulá-los. Bom trabalho e qualquer dúvida, entrem em contato! Beijos, Rô Leffa

Rosângela said

at 6:12 pm on Jul 14, 2009

Olá gente, vocês realmente trabalharam e se envolveram nesse PA. Foram muitas discussões, reflexões, registros, reformulações e, certamente, muitas aprendizagens. Imagino o quanto se sentiram desestabilizados e meio sem chão para continuar... mas vocês se mantiveram firmes. E, juntos, avançaram muito. Tenho a certeza de que o trabalho de vocês ficará muito bom! O processo está revelando isso. Parabéns ao grupo pelo trabalho e pelo empenho. Foi um prazer dialogar com vocês! No próximo semestre daremos continuidade a esse diálogo que, desde o início, foi tão produtivo e enriquecedor para nós todos. Beijos, Rô Leffa

Rosângela said

at 7:54 pm on Sep 1, 2009

Oi gente, as férias acabaram e está na hora de recomeçarmos... Então, mãos à obra!
Para começar, peço a vocês que reorganizem as informações postadas na Fronte Page. Deixem nesse espaço apenas a última versão da pergunta, das certezas e dúvidas e do mapa. As versões anteriores devem ser postadas em páginas individuais (Versão I, Versão II...) e linkadas no sidebar, ok!
Depois, sugiro que vocês retomem as leituras já realizadas (ou realizem novas leituras) e organizem numa nova página as descobertas que vocês fizeram sobre o conceito de 'jogo'. Como os autores definem 'jogo', como um jogo é estruturado.... Não se esqueçam de colocar as referências. Qualquer dúvida, entrem em contato! Beijos, Rô

You don't have permission to comment on this page.